Passar para o Conteúdo Principal
 
Hoje
Hoje
Máx C
Mín C

logo pampilhosa

 

Pampilhosa da Serra

Na vila da Pampilhosa encontra a simbiose entre a modernidade, a inovação e o passado no renovado Museu Municipal e na seiscentista Capela da Misericórdia. Na sede de concelho pode, ainda, desfrutar das águas do Rio Unhais, na Praia Fluvial. Termine com uma visita ao edifício J.I.R.A. (Juventude Inovação e Residência de Arte), Loja de Aldeia e Posto de Turismo e leve uma recordação dos momentos inesquecíveis passados na Pampilhosa da Serra.

 

imagem
imagem

 

PRESIDENTE:

Nuno Miguel Marques Nunes de Almeida

imagem

 

SECRETÁRIO:

António Jorge Henriques Seco

imagem

 

TESOUREIRO:

Teresa Margarida Ramos Vicente

Morada:
Rua Rangel de Lima
3320-229 Pampilhosa da Serra

E-Mail:
fpserra@sapo.pt

Site:
http://www.freguesiadepampilhosadaserra.pt/

Telefone:
235 594 304
932 135 600

Fax: 
235 594 344

Atendimento ao Público: 
Segunda à Sexta das 09h00 – 12h30 /14h00 – 17h30

Área Total (km2):
100.20

Número de Povoações:
29

Número de Habitantes (Censos 2011):
1389

Heráldica:
imagem

Brasão: escudo de ouro, quatro arruelas de negro alinhadas em faixa, em chefe, flor-de-lis de azul, entre dois ramos de pinheiro verde, com pinhas de vermelho, campanha ondada de azul e prata de três tiras. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: FREGUESIA DE PAMPILHOSA DA SERRA.

Bandeira: azul. Cordão e borlas de ouro azul. Haste e lança de ouro.

História:

A freguesia de Pampilhosa da Serra é constituída pelos lugares de Aldeia Cimeira, Aldeia Fundeira, Aldeia do Meio, Cadavoso, Carvalho, Covões, Decabelos, Ereira, Gavião de Baixo, Gavião de Cima, Lobatinhos, Lobatos, Lomba do Barco, Moninho, Moradias, Pampilhosa da Serra, Pescanseco Cimeiro, Pescanseco Fundeiro, Pescanseco do Meio, Póvoa, Sancha Moura, Signo Samo, Sobral de Baixo, Sobral de Cima, Sobral Magro, Sobral Valado, Soeirinho, Vale de Carvalho e Vale Serrão.

A vila é atravessada pelo rio Unhais, próximo do qual se erguem os novos Paços do Concelho, construídos durante a década de 70. Dispõe de um conjunto de espaços e edifícios de interesse histórico dos quais se salientam a Igreja Matriz (edifício reconstruído entre 1908 e 1911, após ter sido vitima de um violento incêndio); a Capela da Misericórdia (finais dos século XVI); a Capela de Santo António (século XVI); o Solar dos Barata (século XVIII) e a antiga Casa da Câmara - atual edifício do Museu Municipal / Posto de Turismo (séc. XVIII).

Património Natural e Cultural:

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pranto - A Igreja Matriz de Pampilhosa da Serra está situada na margem esquerda do Rio Unhais, junto à ponte. Em 1907 foi assolada por um violento incêndio que reduziu a cinzas praticamente todo o edifício. Dos escombros restaram apenas o retábulo de pedra Estilo Renascença, do séc. XVI e a Imagem de Nossa Senhora do Rosário.

A construção da nova Igreja Matriz decorreu entre 1908 e 1911.

Em 1997 a Igreja Matriz sofreu grandes obras de restauro, pois já eram visíveis os sinais de decadência. Estas obras foram iniciadas pelo Padre Carlos Borges e terminadas pelo atual pároco da Vila, Padre Pedro Freitas dos Santos. A inauguração solene do restauro da Igreja Matriz foi a 1 de Agosto de 1999, presidindo à Eucaristia o Bispo D. João Alves.

A igreja possui uma custódia de prata dourada com tintináculos, do século XVI e uma pequena urna de prata, que data de 1664. Um dos sinos está assinado e datado: JOSE DE ARCOS ME FES 1807. Outro tem o milésimo de 1830. Estão presentes na Igreja, para além da Padroeira, Nossa Senhora do Pranto, o Sagrado Coração de Jesus, Imaculada Conceição e Nossa Senhora dos Remédios.

Museu Municipal e Posto de Turismo de Pampilhosa da Serra - Da arquitetura Civil destaca-se o edifício da antiga Casa da Câmara e Cadeia. Datado do séc. XVII, este bonito edifício é atualmente o Museu Municipal.

Na fachada principal pode ver-se, do lado esquerdo a base de ferro que sustentava o sino que chamava os vereadores para as sessões, bem como as janelas da Cadeia com poderosas grades de ferro e, no centro, sob a porta principal, a seguinte inscrição:

"O REI D. DINIS NO ANNO DE 1308 
FEZ ESTA TERRA VILLA EL REI D.JOÃO I 
A CONFIRMOU.EL REI D. MANOEL
A SENTENCIOU POR VILLA MUI ANTIGA
CONTRA A VILLA DA COVILHAM
EM A DEMANDA QUE TIVERAM
NO ANNO DE 1500.´
FEITA NO ANNO DE 1711"


Em linguagem corrente, diz o seguinte: " O Rei D. Dinis, no ano de 1308, fez esta terra vila. El'Rei D. João I a confirmou. El'Rei D. Manuel a sentenciou por vila muito antiga contra a vila da Covilhã, em a demanda que tiveram no ano de 1500. Feita no ano de 1711.

Miradouro do Cristo Rei - Neste miradouro poderá contemplar a bela vista da Vila de Pampilhosa da Serra.

Capela da Misericórdia - A Capela da Misericórdia ergue-se na Vila de Pampilhosa da Serra, na Praça Barão de Louredo. O templo, de traça simples, remonta a finais do século XVI. A fachada é dominada pela porta retangular, encimada de modesta janela com a Cruz de Cristo e no interior da Capela pode ver-se uma sepultura de Simão Pires datada de 1600.

Capela de Santo António - A Capela de Santo António é um singelo edifício do séc. XVI, que atualmente apresenta algumas alterações.
A fachada da capela exibe m alpendre que acolhe o visitante na passagem do exterior para o interior. 
No altar está a imagem de Santo António com o Menino, obra do século XVII.

Capela de São Sebastião - Encontra-se perto do cemitério. Pertence ao séc. XVII. Tem alpendre e nicho decorado sobre a porta, retábulo de madeira, singelo, do mesmo século, bem como também o é a escultura de calcário do S. Sebastião.

Capela de Nossa Senhora de Fátima - A capela de Nossa Senhora de Fátima está situada junto ao Campo de Futebol do Pampilhosense. Anualmente, no Domingo mais próximo ao 13 de Maio, realiza-se uma procissão e celebra-se Missa em honra da sua padroeira.

Capela de São Jerónimo- No cimo de um outeiro pitoresco ergue-se a Capela de S. Jerónimo, de onde se pode ver a panorâmica geral da vila de Pampilhosa da Serra. Na década de 80 do século XX sofreu uma grande intervenção, conferindo-lhe o aspeto atual.

Sola dos Barata - O Solar dos Barata é um edifício de boa traça que remonta ao século XVIII. O portal tem um frontão interrompido por uma concha, rematada por um nicho retangular que possivelmente albergaria uma pequena imagem.

Casa do Arco - A Casa do Arco, situada na Rua 5 de Outubro, é um exemplo de construção dos séculos XVI -XVII, cujo portão é um arco de volta inteira interrompido por duas arestas chanfradas, com janelas sacadas. Este edifício já não exibe a grande varanda central que possuía em 1934, conforme testemunha um desenho feito à pena pelo Monsenhor Nunes Pereira.

Lagar de S. Sebastião - O antigo lagar de S. Sebastião, situado no lugar conhecido por Poço do Moinho, é um belo exemplar deste tipo de construção. Trata-se de um edifício rústico, coberto com telha serrana, onde se moía a azeitona para o fabrico do azeite.
Ao contrário dos lagares de vara, movidos pela força de animais e de homens robustos, este era impulsionado pela força da água que, uma vez conduzida pela levada até ao rodízio de madeira, lhe imprimia a força necessária para acionar a grande pedra ou mó da azeitona.

Edifício Multiusos - Inaugurado a 11 de Agosto de 2006, o Edifício Multiusos de Pampilhosa da Serra é composto por cinco pisos nos quais se encontram distribuídos os diversos espaços. Destacam-se um auditório com capacidade para aproximadamente 200 lugares, um bar de apoio, salas de exposição, a Biblioteca Municipal, duas camaratas, balneários, etc.

Anfiteatro ao Ar-livre - Este novo espaço inaugurado a 10 de Abril de 2006, na vila sede de concelho, visa criar um centro de referência urbana em termos de recreio, lazer e contacto social, permitindo aos pampilhosenses a realização de acontecimentos sociais, recreativos e culturais em ambiente natural.

Chafariz - Situado na zona histórica da vila, é de 1863 e foi traçado em linhas de tradição Neoclássica.

Casa-Museu da Liga de Melhoramentos de Carvalho - É no edifício da antiga Escola que atualmente se situa a Casa Museu da Liga de Melhoramentos de Carvalho, inaugurada a 27 de Agosto de 1994. Neste Museu encontramos peças do quotidiano e instrumentos de trabalho de antigamente.

Orago

Nossa Senhora do Pranto, celebrada anualmente 15 de Agosto

Links

 

Partilhar